27 fevereiro, 2009

Tribunal Administrativo voltou a excluir Mota-Engil

A Mota-Engil poderá estar definitivamente afastada da corrida à concessão da Silopor, segundo avança o semanário "Sol". De acordo com aquele semanário, o Tribunal Administrativo e Central do Norte indeferiu o pedido de readmissão provisória no concurso apresentado pela construtora, contrariando a decisão do Tribunal Administrativo e Fiscal do Porto. A Mota-Engil, recorde-se, interpôs uma acção em tribunal depois de ter visto a sua proposta excluída pela comissão de avaliação do concurso de privatização da Silopor, a empresa de silos portuários, que detém terminais de cereais da Trafaria, Beato e Vale Figueira. Simultaneamente lançou uma providência cautelar para a suspensão da eficácia do concurso até que surgisse uma decisão ou, em alternativa, solicitava a sua readmissão provisória. Em Outubro do ano passado, a Mota-Engil anunciou que o Tribunal Administrativo e Fiscal do Porto havia diferido o seu pedido de admissão provisória. Contudo, os dois outros candidatos – a ETE (Empresa de Tráfego e Estiva) e a Sogestão – interpuseram um recurso e agora o Tribunal Central e Administrativo do Norte decidiu rejeitar o pedido de readmissão provisória. Apesar de ainda decorrer a acção principal, a decisão dos tribunais pode chegar já depois do concurso, agora em fase de negociações, estar concluído.

Iberolinhas com novo serviço para a Líbia



A Iberolinhas, agência de navegação que representa a Sloman Neptun em Portugal, anunciou que a partir de 11 de Março, o armador alemão irá iniciar uma linha directa entre o porto de Leixões e a Líbia (Tripoli, Misurata e Benghazi). Este serviço será realizado pelo navio “Provider”, podendo transportar carga contentorizada e convencional; inicialmente terá uma periodicidade mensal, no entanto existe a possibilidade de passar a quinzenal, caso se justifique. Actualmente, a Sloman Neptun, através da Iberolinhas, oferece também um serviço directo e quinzenal de carga contentorizada, carga convencional e carga Ro-Ro, entre Leixões e o norte de África, principalmente Argélia (Oran, Argel, Skikda).

26 fevereiro, 2009

PEDIDO DE AJUDA


PEDIDO DE AJUDA

Agradecemos a todos os transportadores que tenham camiões a passar na A21 entre Asti e Torino, na zona de Dusino - St. Michele, verifiquem se há algum camião da Matertir parado. Se for esse o caso, pedimos por favor para nos contactarem, pois não temos contacto com o motorista desde ontem, os telemoves encontram-se desligados.

Matrícula do Tractor: 62-27-PP DAF

Matrícula do Reboque: L-151918

Contactos: 271 510070 / 71

trafego@matertir.com

info@matertir.com


Agradecemos a vossa colaboração!

23 fevereiro, 2009

Estaleiros de Viana há dois meses sem administrador

O maior construtor naval português, que integra a holding nacional das industrias da Defesa, continua a navegar em águas conturbadas, depois da saída, em Dezembro, do presidente do conselho de Administração da empresa, cargo que continua sem substituição.

A situação nos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC) arrasta-se há mais de dois meses, depois da saída, inesperada, de Arnaldo Navarro Machado, para uma empresa privada, o que apanhou os cerca de mil trabalhadores da empresa de surpresa. Isto porque, dias antes, na mensagem de Natal, o administrador garantia a confiança no trabalho desenvolvido pela empresa, embora não escondesse o facto de a "maioria dos armadores" terem suspendido "as suas intenções de compra de novos navios", aguardando pelo impacto da crise no transporte marítimo. Nesta mensagem, Navarro Machado também dizia ser necessário aos estaleiros encetar um processo para se tornarem mais "competitivos e eficientes", propondo mesmo algumas medidas.

Abruptamente, afirmam alguns trabalhadores, a empresa foi surpreendida com a saída do administrador, lugar que continua vago desde então, cabendo a gestão aos restantes dois elementos do conselho de administração. "É inquestionável que, nos últimos dois anos, temos sentido dificuldades acrescidas na obtenção de novos contractos para novas construções", alertava o agora ex-administrador, antevendo momentos complicados para a empresa.

Segundo informações recolhidas pelo DN, esta saída ficou a dever-se motivos profissionais, no entanto nem a empresa nem o Ministério da Defesa Nacional quiseram comentar o caso ou abordar a substituição. Certo é que em ano de crise, os Estaleiros Navais de Viana do Castelo ficam condicionados em termos de liderança, numa altura em que também a carteira de encomendas está bastante reduzida. A empresa tem actualmente onze construções a decorrer, entre as quais quatro navios para a Armada (patrulhões), três porta-contentores, dois ferrys e dois mega-iates.

Com esta saída - Navarro Machado dirigia também a holding das indústrias de Defesa Empordef, tendo abandonado essas funções -, fica ainda por conhecer o prazo para a entrega do primeiro par dos já famigerados patrulhões, encomendados ainda por Paulo Portas, e que estão em água desde 2004. A entrega deste primeiro par, devido a várias exigências impostas pela Armada, tem vindo a ser atrasada sucessivamente e constitui um verdadeiro pesadelo para a empresa, que não consegue avançar para a construção dos restantes seis navios.

In DN

Fotos...





A festa continua - Golfo de Aden

Um cargueiro grego foi sequestrado, este sábado, por piratas no golfo de Aden, ao largo da Somália, anunciou o ministério da Defesa britânico.

O cargueiro "MV Saldanha" navegava a cerca de uma centena de quilómetros de um navio da Marinha de Guerra Britânica, o HMS Northumberland, quando foi atacado.

A BBC foi a primeira entidade a noticiar a ocorrência, através de um repórter seu em serviço na região.

"Jonathan Fisher, repórter da BBC a bordo de um navio britânico na zona, informa que o capitão do "MV Saldanha" alertou por rádio as forças britânicas de que piratas se apoderaram do seu navio", anunciou a BBC num artigo publicado no seu site de Internet.

O ministério da Defesa britânico e o ministério da Marinha Mercante grego já confirmaram esta informação, embora sem fornecer detalhes por falta de mais informação.

O cargueiro grego, com pavilhão de Malta, transporta carvão com destino à Eslovénia, tendo a bordo uma tripulação de 22 homens.

In JN

Grand Alliance anuncia alterações de rotas

A Grand Alliance anunciou que vai proceder a alteração da rota eastbound do seu serviço EU3 (Asia - Europa). Os navios vão deixar de passar o Canal do Suez, e passam a navegar em torno de Africa na vinda para a Europa, e significará 7 dias extra de viagem.
A decisão prende-se com as elevadas taxas que pagam para passar pelo Suez. A rota Westbound para já mantêm-se inalterada.
Este serviço é servido por 10 navios de 8000+ Teus e os portos servidos irão se manter:
Southampton / Hamburg / Rotterdam / Port Kelang / Singapore / Shekou / Hong Kong / Ningbo / Shangai.

Não fica desde já afastada a hipotese de tomarem esta decisão noutros serviços, se a situação económica mundial se mantiver.

HSH Nordbank deixa de financiar porta-contentores

O HSH Nordbank, banco alemão número um mundial no financiamento do shipping, anunciou a retirada do negócio de financiamento de navios porta-contentores.

O banco, sedeado em Hamburgo, tem uma carteira de créditos de cerca de 30 mil milhões de euros no sector marítimo. A instituição é o principal financiador dos armadores alemães que controlam a maior frota mundial de navios fretados.

Além disso, o HSH Nordbank integra o consórcio Albert Ballin, que ofereceu 4,45 mil milhões de euros pela Hapag-Lloyd, e é um dos membros do sindicato financeiro que emprestou ao armador alemão 593 milhões de euros para comprar 29 navios porta-contentores à Tui.

O Nordbank, que apresentou perdas de 2,8 mil milhões de euros antes de impostos e se propõe dispensar 1 100 dos seus 3 250 funcionários, anunciou que vai focar-se nos clientes domésticos do norte da Alemanha envolvidos no transporte marítimo, aviação, infraestruturas de transportes e energias renováveis.

A saída do HSH Nordbank do negócio dos porta-contentores aumentou os receios aos bancos e fundos de investimento do sector, que financiaram mais de 500 navios porta-contentores, incluindo vários 12000-14000 TEU encomendados por empresas alemãs. Há cerca de 140 navios de 3 000 TEU encomendados sem qualquer suporte num contrato de fretamento.

Os armadores alemães estão a tentar cancelar ou adiar muitas dessas encomendas, face ao aumento da capacidade excedentária no mercado. Porém, os estaleiros, principalmente os da Coreia do Sul, estarão a recusar-se a renegociar os contratos.

Associação Portuguesa dos Agentes Transitários

António Dias, actual presidente da Direcção da Apat, encabeça a única lista candidata às eleições para os corpos sociais da associação dos transitários, para o triénio 2009-2011.

O prazo para a apresentação das candidaturas terminou ontem e, de novo, apenas foi entregue uma lista candidata, patrocinada pela actual Direcção.

Relativamente ao actual elenco directivo, notam-se as saídas de Armando Guimarães e de Rodrigo José Leite e as entradas de António Beirão e Rui Moreira.

Henrique Cardoso, ex-presidente da associação, é agora candidato à presidência da Assembleia Geral, e Armando Guimarães candidata-se à presidência do Conselho Fiscal.

Sem estar sujeito à votação pelos associados, mas com um mandato que coincide temporalmente com o dos órgãos sociais, Rogério Alves Vieira manter-se-á como presidente executivo da associação dos transitários portugueses.

O acto eleitoral está agendado para o próximo dia 5 de Março, na sede da associação, em Lisboa.

20 fevereiro, 2009

Canal do Panama - Timelapse

Finalmente

As 25 novas locomotivas para mercadorias - encomendadas pela CP à Siemens, num investimento de 100 milhões de Euros - entram na proxima semana em funcionamento

In CM

- Finalmente dizemos nós...

O Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres (IMTT) homologou finalmente as novas locomotivas eléctricas da série 4700 da CP, que estiveram várias semanas em testes no Poceirão. A CP ficou autorizada a iniciar a operação com o novo material de tracção fabricado pela Siemens e que representaram um investimento de cem milhões de euros. As novas locomotivas destinam-se à CP Carga e vêm substituir as obsoletas locomotivas da série 2500 adquiridas na década de 50. As primeiras três unidades, de um conjunto de 25, foram montadas em Munique, na Alemanha, e as restantes na EMEF, em Portugal. O valor do investimento foi suportado em 30 por cento por capitais próprios e os restantes 70 por cento com recurso a um empréstimos já negociados, dos quais 25 por cento comparticipados pelo Banco Europeu de Investimentos. As locomotivas da série 4700 são as primeiras da CP equipadas com freio de disco e com um sistema de tracção com conversores electrónicos a IGBT’s (Insulated Gate Bipolar Transistor). Estas unidades dispõem ainda de freio electropneumático que, segundo a CP, podem rebocar comboios de mercadorias até mil toneladas, inclusivamente na Linha da Beira Alta, que tem o perfil mais difícil.

In Transportes em revista

Liscont em sintonia de interesses com a CML

Morais Rocha, administrador da concessionária do terminal, manifestou ao jornal Público "abertura para se tentar corresponder" às imposições feitas pela CML à Liscont para atribuir parecer favorável à expansão do terminal. Morais Rocha garantiu haver "sintonia de interesses", exemplificando com a criação de uma praça junto à Gare Marítima e com a garantia de que haverá intervalos entre as pilhas de contentores.

A concessionária do terminal já assumiu investimentos de cerca de 13 milhões de euros. Este valor inclui 3,8 milhões de euros para as obras no terreno, 3,5 milhões para equipamentos já encomendados, entre os quais mais dois pórticos de parque Kalmar e cerca de dois milhões para estudos e projectos.


in CargoEdições online

APL apresentou plano de demolições dos edifícios do terminal de Alcântara

A APL já apresentou o plano das demolições dos edifícios que darão lugar ao espaço de alargamento do terminal de contentores de Alcântara. Assim, durante este primeiro trimestre, serão demolidos os edifícios Bartolomeu Dias, Gil Eanes e o edifício ocupado pela Liscont; no início de 2011, o edifício Vasco da Gama, ocupado pelo IPTM; por fim, no início do segundo trimestre de 2012, o edifício "Terlis", onde hoje se encontra o equipamento de scanerização de contentores.

Paralelamente às obras de demolição reveladas no plano da APL, o concessionário Liscont prevê concluir até Junho outras obras ao nível das portarias, do posto de inspecção fronteiriço, da vedação da área e da remodelação do edifício administrativo da empresa.

in CargoEdições online

19 fevereiro, 2009

Lisboa: Assembleia Municipal pede suspensão das demolições no Cais de Alcântara

A noticia é de ontem, mas acho que deve de constar aqui no nosso blog... mas estes gajos estão malucos ou fazem-se ??? Meus senhores, o edificio em questão esta fechado vai para uns 10 anos.... e ja percebi que estão a tentar implementar a politica da autarquia, mais vale um predio desabitado e fechado que um local com um espaço utilizavél. Voces estão mas é malucos meus amigos... aquele edificio era isso sim uma vergonha para a propria cidade.

------------------------------------------------------------------------------------

A Assembleia Municipal de Lisboa exigiu quarta-feira a suspensão das demolições de edifícios históricos do Cais de Alcântara e na Doca do Espanhol através de uma recomendação do PSD.
A recomendação pede que a Câmara actue "urgentemente" para suspender as operações de demolição de edifícios históricos naquela zona e integre aquele "conjunto monumental" no inventário municipal do património de Lisboa.
O documento foi aprovado com os votos contra do PS e os votos favoráveis do PSD, CDS-PP, PCP, PEV e BE.
A recomendação, apresentada pelo deputado municipal social-democrata Magalhães Pereira, presidente da Junta de Freguesia dos Prazeres, refere que o concessionário do Porto de Lisboa iniciou a demolição de um dos edifícios "emblemáticos" da zona, o edifício Bartolomeu Dias.
Aquele edifício faz parte de um "conjunto arquitectónico coerente" dos anos 1930 e 1940, que integra também os edifícios Vasco da Gama, Diogo Cão, Infante D. Henrique, Álvares Cabral e Gonçalves Zarco.
Também sobre o terminal de contentores de Alcântara, a Assembleia Municipal voltou a aprovar uma moção para que a Câmara exija do Governo a "anulação" da prorrogação do contrato de concessão daquela infra-estrutura à Liscont, do grupo Mota-Engil.
Os deputados municipais pedem à autarquia uma "posição firme, declarada e consequente de desincentivo ao alargamento do cais de Alcântara" e uma "orientação no sentido da manutenção de uma infra-estrutura portuária moderna na cidade, em ligação com eventuais alternativas na Área Metropolitana de Lisboa".

In Lusa

Problemas - Grecia

Msg recebida de alguns armadores...

Please be informed that the Union of Port workers announced further actions to be taken, as today, the draft bill for the privatization of Piraeus port was brought to the Greek parliament for discussion.
The voting will take place in about 2 weeks.

· STOPPAGE OF PORT OPERATIONS 18/2/09, 11:00 to 18:00 and 22:00 to 01:00.
· STOPPAGE OF PORT OPERATIONS 19/2/09, 11:00 to 18:00 and 22:00 to 01:00.
· STRIKE on 24,25 and 26 of February.

Grand Alliance/ZIM - Cooperação num novo serviço

A Grand Alliance anunciou que irá cooperar com a ZIM em duas linhas Oriente - Costa Oeste Estados Unidos e Canada.

Os dois serviços (PNX e NWX) serão servidos por 11 navios com capacidade de 8000+ TEU, sendo 3 da ZIM e os restantes da Grand Alliance, e têm uma rotação de 42 dias (PNX) e 35 dias (NWX).

Rotação dos Serviços:

PNX: Singapura, Laem Chabang, Shekou, Hong Kong, Kaohsiung, Vancouver (Delta port), Seattle, Busan, Kaohsiung, Hong Kong, Shekou e Singapore.

NWX: Ningbo, Shanghai, Qingdao, Busan, Seattle, Vancouver (Vanterm), Tokyo, Nagoya, Kobe e Ningbo.

A MISC não opera nestas rotas e apesar de pertencer a Grand Alliance, não irá participar em nenhum dos dois serviços.

17 fevereiro, 2009

Contabilização de navios “Hijacked” na Somália e no Golfo de Aden durante 2008

SOMALIA

Playa de Bakio
Al-Khaleej
Victoria
Rockall
Yenegoa Ocean
Centauri
Capt.Stefanos
Faina
Tianyu Nº8
Sirius Star

GOLFO DE ADEN

Sviter Korsakov
Lina 2
Brum ocean
Le ponat
Amiya Scan
Lehmann timber
Stella Maris
Thor Star
Bunga Melati dua
Iran deyanat
Irene
BBC Trindad
Bunga Melati 5
Carre D’AS IV
Al Mansourah
Bright Ruby
Stolt valor
Great Creacion
Genius
Wael H
Action
Shri Shiv Shamboo
African Sanderling
Yasa neslihan
CEC Future
Stolt Strength
Karagol
Chemstar Venus
Delight
Ekawatnava 5
Biscaglia
Bosphorus prodigy
Masindra 7
Zhen hua 4

Com a cortesia de IMB Piracy Reporting Centre

Great Ocean termina operações e fecha escritórios

Great Ocean Container Lines (GOCL) sedeada em Hong Kong Fechou ao fim de 1 ano em funcionamento.

No inicio de 2008, GOCL iniciou a actividade com um escritório na Ponta norte de Hong Kong, com a intenção de iniciar um serviço Ásia – Europa.

A GOCL começou a providenciar um serviço Far East – Europa, em Abril de 2008, através de slots compradas no serviço CKYH-UASC CNX-AEC 3.

O Chefe executivo Chris Bauermeister, que recentemente se demitiu da companhia, informou que a companhia estava a encerrar os seus negócios e que o processo de solvência da mesma era para o imediato.

“Obviamente ninguém dentro da nossa industria esperava tão dramático declínio entre proveitos e custos, que já causaram o colapso ou o recuo de diversos operadores marítimos” informou.

Em Julho de 2008 a Lloyd’s List indicou que a introdução de um serviço Ásia – Europa, com navios do tamanho dos que a GOCL tencionava operar, não parecia ser rentável, em grande parte devido aos proibitivos custos operacionais e à grande competição existente naquela área por parte de outros operadores marítimos de longo curso.

Com o colapso dos mercados financeiros, no momento exacto em que a GOCL tencionava lançar o seu próprio serviço, foi a machadada final para a empresa.

O Sr. Bauermeister trabalhou anteriormente como director para a Senator Lines Asia, sedeada em Hong Kong. Senator Lines que tambem fechou as portas no ultimo mês

Um Navio de guerra Saudita impediu o sequestro de mais um navio de carga Turco, no Golfo de Aden

Uma Fragata Saudita providenciou protecção ontem a um navio de carga Turco depois de receber uma chamada de socorro do mesmo ao principo da manhã de ontem, quando 3 botes tentaram abordar o referido navio nas aguas internacionais perto do Golfo de Aden, de acordo com a a agencia SPA

Os piratas fugiram do local a quando da chegada da fragata Saudita, “Al-Riyadh”, que escoltou o navio “Yasa Seyhan” para fora da zona de perigo

Ja foram sequestrados no Golfo de Aden. 3 navios Turcos em 2008 tendo sido libertado o ultimo em 02 Fevereiro de 2008.

Uma fragata Turca esta a chegar á Zona do Golfo de Aden durante esta semana para ajudar ao patrulhamento das agues internacionais desta zona.

Grand Alliance e Zim juntas no Ásia–East Med

A Grand Alliance e a Zim Lines vão cooperar nas ligações entre a Ásia e o Mediterrâneo Oriental e o Mar Negro. O novo serviço arranca no próximo dia 23.

Na sequência da suspensão do seu serviço ABX, os membros da Grand Alliance decidiram unir esforços com a Zim Lines no serviço EMX (East Med / Brack Sea Express Service) do operador israelita.

O EMX servirá os portos de Pusan, Shanghai, Ningbo, Shekou, Port Kelang, Colombo, Nhava Sheva, Istambul, Novorossiysk, Constanza, Istambul, Nhave Sheva, Colombo, Port Kelang, Shekou, Pusan. Relativamente à rotação anterior, as novidades são Nhava Sheva, a mudança para Novorossiysk, na Rússia, e as escalas em Istambul.

O serviço é assegurado por 13 navios da Zim Lines.

A Grand Alliance é constituída pela Hapag-Lloyd, pela MISC, pela NYK e pela OOCL.


In Transportes & Negocios

13 fevereiro, 2009

Pesca no Golfo de Aden - Continua a dar....

MOSCOVO, Fev 13 – Um navio de Guerra Russo capturou 3 barcos piratas.


O vaso de guerra nuclear Peter the Great, tambem prendeu 10 piratas que se encontravam nas referidas embarcaçoes.

Os Piratas Somalia tinham como alvo os navios de carga que atravessam o Golfo de Aden, que liga a Europa e a Ásia através do Mar Vermelho e do canal do Suez.


In Reuters



Operação Atlanta - Forças da Coligação ja andam à pesca...

A fragata española Victoria, que participa na Operação Atalanta da UE de luta contra a pirataria em aguas da Somalia, realizou ontem alguns disparos de advertencia para frustrar o ataque contra um navio mercante que ia ser abordado, segundo informou o Ministerio da Defesa Espanhol. O incidente iniciou-se as 15.25 (hora peninsular espanhola) quando a Victoria, que estava a realizar uma missão de escolta de um comboio de quatro barcos en transito pelo Golfo de Adén, recebeu o aviso de que o navio mercante Jolbos, de bandeira Cipriota, estaba a ser atacado por piratas. 1 dos 2 helicópteros SH60B da fragata, que se encontrava em voo, dirigiu-se de imediato para a zona de ataque, a umas 25 milhas náuticas (46,25 kilómetros) da popa da Victoria y comunicou por radio com a tripulação do navio mercante, que os informou que havía sido atacado con espingardas de asalto y lança granadas RPG e que tinha encentado manobras evasivas e havia conseguido escapar aos seus perseguidores com manobras evasivas.

Segundo a Defesa, os piratas, que estavam naquela zona, tentaram interceptar outro navio, o Dubai, com bandeira dos Emiratos Árabes Unidos (EUA), e foi nessa altura que o helicóptero foi obrigado a realizar disparos de advertencia com a metralhadora de 12,70 milímetros de calibre. O helicóptero continuou a sobrevoar a zona até que teve de regressar à fragata por para abastecer combustivel.

A fragata Victoria, que largou em 23 de Janeiro da Rota (Cádiz) com 210 militares a bordo, iniciou no sábado da semana passada a sua primeira missão, no corredor marítimo entre a Somalia e o Yemen.

In El Pais


Hapag-Lloyd sobe fretes a partir de Abril

Depois da Maersk, é agora a vez da Hapag-Lloyd anunciar um primeiro aumento dos fretes marítimos, a partir de 1 de Abril. Outros se seguirão, ao longo do ano, avisa o armador alemão.

Nas ligações entre o Extremo Oriente e a Europa / Mediterrâneo, as mais afectadas pela erosão dos preços, a partir de Abril a Hapag-Lloyd propõe-se cobrar mil dólares por contentor de 20’, dois mil dólares por contentores de 40’ e 2 100 dólares por contentor de 40’ high cube. Isto no sentido westbound. No sentido eastbound, os novos fretes serão, respectivamente, de 250 e 500 dólares. Estes valores incluem as sobretaxas de combustível e de variações cambiais.

Também os serviços operados pela Hapag-Lloyd entre a Europa, o Mediterrâneo, a América do Norte e o Golfo serão actualizados a partir de 1 de Abril.

No caso das ligações entre a Europa e a Oceânia os aumentos só serão aplicados a partir de 1 de Maio.


In Transportes & Negocios

A Liscont pediu a dispensa da classificação de PIN (Projecto de Interesse Nacional) para a expansão do terminal de contentores de Âlcantara.

A Liscont quer que o projecto de expansão de Alcântara seja devidamente escrutinado, e por isso pediu a dispensa da classificação de PIN. A Câmara de Lisboa considera a decisão “positiva”. Miguel Sousa Tavares, do movimento “Mais contentores não” fala em demagogia.

A Liscont pediu a dispensa da classificação de PIN (Projecto de Interesse Nacional) para a expansão do terminal de contentores de Âlcantara. Não porque não o considere de interesse nacional, justificou Eduardo Pimentel, presidente da concessionária, mas porque não quer que o processo seja “acelerado”, mas antes “passe por todos os crivos, para que no futuro não se ponha em causa a bondade ambiental”.

Por outras palavras, a Liscont prefere que sejam cumpridos todos os prazos etapas normais para a análise de projectos deste género. Sem que isso implique atrasos relativamente à calendarização prevista.

António Costa, presidente da Câmara de Lisboa, já considerou “positivo tudo o que seja reforçar a transparência do processo de decisão”.

O autarca acrescentou que a Câmara Municipal continua em negociações com a Liscont no sentido de redefinir a utilização do espaço envolvente ao terminal de Alcântara e redesenhar a circulação viária. "Pela nossa parte prosseguimos as negociações com a Liscont, tendo em vista o que nos parece essencial, que é a libertação da zona fronteira à Gare Marítima de Alcântara para o espaço público, e a garantia prévia de que todo o sistema de transportes previsto é possível de realizar, sem o que não deve haver um alargamento do cais sob pena de criar um problema de tráfego muito grande", disse.

Quem duvida da bondade de posição da Liscont é Miguel Sousa Tavares, um dos rostos do movimento de cidadãos “Lisboa é das pessoas. Mais contentores não”.

"Desconhecia que a Liscont tinha pedido a classificação de projecto PIN para o alargamento do terminal de contentores de Alcântara, mas a notícia de que agora já não quer essa classificação é uma medida puramente demagógica, já que é público que as expectativas de movimento de contentores em Alcântara foram completamente inflacionadas pela empresa e nos anos mais próximos não chegarão sequer a metade do que anunciaram", disse o escritor.

Neste momento, o movimento cívico "aguarda que o presidente da Câmara de Lisboa consiga, por iniciativa própria, alterar substancialmente o projecto", acrescentou Miguel Sousa Tavares. "Se o conseguir, como esperamos que sim, tudo bem; se não o conseguir, o movimento continuará a luta para revogar o decreto-lei, com eventuais iniciativas jurídicas directas para impedir que a obra avance", afirmou, sem especificar a que tipo de iniciativas se referia.


In Transportes & Negocios

12 fevereiro, 2009

Transportes: ANTRAM contra pagamento por poluição e congestionamento

A Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) mostrou-se hoje "frontalmente contra" a directiva "Eurovinheta", que prevê que os camionistas paguem pelos congestionamentos e pela poluição sonora e atmosférica que provocam.

"Vemos com muita preocupação a aprovação da directiva Eurovinheta. Somos frontalmente contra", disse à agência Lusa o presidente da ANTRAM, afirmando que a aplicação desta medida "não faz sentido".

António Mousinho reagia assim à aprovação da directiva Eurovinheta, que determina que as transportadoras rodoviárias assumam parte dos custos ambientais que provocam.

A medida, aprovada quarta-feira pela Comissão de Transportes do Parlamento Europeu, terá ainda de ser aprovada pelo Parlamento Europeu, em Março.

"Numa altura em que a grande maioria dos Estados está a adoptar medidas de apoio ao sector, como os incentivos ao abate de veículos usados e à renovação de frotas, não faz sentido que a Comissão Europeia venha criar mais uma taxa", justificou o presidente da ANTRAM, que representa quatro mil empresas do sector.

"É uma medida contraditória face à actual conjuntura e ao tipo de medidas de apoio ao sector [do transporte rodoviário de mercadorias] que a maior parte dos Estados está a adoptar", acrescentou.

A agência Lusa contactou a Associação Nacional das Transportadoras Portuguesas (ANTP), a outra associação que representa as transportadoras portuguesas, mas tal não foi possível em tempo útil.


In Lusa

11 fevereiro, 2009

Safmarine reforça serviço de contentores frigoríficos entre o norte da Europa e o sul de Africa

A Safmarine anunciou a criação de um novo serviço marítimo de transporte de contentores frigoríficos, operado por três navios, para responder ao aumento da procura sazonal deste tipo transporte. O novo serviço SAECS, que liga o norte da Europa ao sul de África, teve início em Fevereiro e vem complementar o actual, que opera com quatro navios. A combinação de ambos os serviços irá assegurar a disponibilização de um serviço semanal com sete navios no pico da temporada dos contentores frigoríficos. O serviço SAECS faz escala nos portos de Durban, East Londom, Port Elisabeth, Dar es Salaam, Zanzibar, Cidade do Cabo, Lisboa, Thamesport, Antuérpia, Bremerhaven e Le Havre.

Contentores do Porto de Sines

O Terminal XXI do Porto de Sines fechou o ano de 2008 com um balanço mais do que positivo, devido ao facto de ter movimentado 233.118 TEU’s, o que significa uma variação positiva de 55,4 por cento, em relação a 2007. A este excelente resultado do Terminal de Contentores, “junta-se” um crescimento de 49,6 por cento na movimentação de Carga Geral, posicionando cada vez mais o Porto de Sines como uma referência nesta valência de mercadorias, assim como nas energéticas. O Terminal de Gás Natural Liquefeito manteve uma movimentação idêntica à do ano de 2007, ultrapassando ligeiramente os 2.000 MTon e representando mais de 50 por cento do consumo total de Portugal.Os Terminais de Granéis Líquidos e Petroquímico registaram uma diminuição de 8,61 por cento, que se deveu à paragem programada da refinaria da Galp, realizada com uma periodicidade de quatro anos para efeitos de manutenção. A paragem durou cerca de 2,5 meses, originando um decréscimo por volta do milhão e meio de toneladas. O Terminal Multipurpose diminuiu 11,92 por cento, uma variação ocorrida devido à paragem, de quatro meses, de dois grupos da Central Termoeléctrica de Sines, para instalação de sistemas de dessulfuração, acrescendo à redução do consumo de carvão devido ao aumento do seu custo no mercado internacional. Segundo comunicado da Administração do Porto de Sines, “o ano de 2008 termina uma movimentação de 25.149 MTon, valor ao qual se associa um significativo aumento das exportações, registando uma variação positiva de 7,3 por cento, quando comparada com 2007.Também o total de navios recebidos em 2008 registou um ligeiro crescimento, tendo escalado o porto de Sines 1.489 navios, acompanhado por um aumento de quatro por cento do porte total associado.”

In Transportes em revista

Aproveitamento de "latas velhas"....


Eu por mim morava num sitio deste...


Túnel da Mancha totalmente operacional

Cinco meses após o incêndio que destruiu parte da secção Norte do túnel da Mancha, entre Calais e Londres, a Eurotunnel anunciou a total operacionalidade da ligação.

A empresa responsável pelo túnel entre o Reino Unido e a França divulgou que o primeiro serviço de shuttle comercial já foi efectuado, com a passagem de um veículo com 30 pesados e respectivos motoristas. A passagem demorou 32 minutos na máxima potência operacional.

O serviço comercial de transporte de mercadorias retomou hoje a sua normalidade. O serviço de passageiros Eurostar só ficará totalmente normalizado a partir do próximo dia 23.

O incêndio no túnel , que não fez quaisquer vítimas, ocorreu a 11 de Setembro do ano passado, num camião de transporte de produtos químicos, que seguia a bordo de um comboio shuttle.

As limitações operacionais do túnel no último terço do ano passado tiveram como consequência uma quebra de 2% do volume de negócios da Eurotunnel, que assim viu interrompida a sua recuperação.


In Transportes & Negocios

10 fevereiro, 2009

Piratas - Blue Star vai ser libertado


Os PIRATES are to release an Egyptian fertiliser ship after a ransom was paid, the owner said today. Piratas vão libertar o navio com fertilizantes Egipcio Blue Star, após o armador ter pago o resgate.

O Blue star com 28 tripulantes estava cativo pelos piratas desde dia 01/01/09 carregado com 6000 toneladas de ureia. De acordo com a BBC foi pago um resgate de $3M pelo armador do navio.

Não se sabe no entanto se os piratas ainda estão a bordo do navio e quando é que a libertação do mesmo irá ocorrer. O Blue star esta registado com bandeira de St Kitts & Nevis.

Entretanto a Turquia vai colocar mais uma Fragata no Golfo de Aden de acordo com o ministro dos negócios estrangeiros Turco, Ali Babacan.

De acordo com o Governo Turco, a ameaça a navios carga Turcos atingiu o limite do aceitavel, estando a começar a afectar os interesses financeiros do pais

In Sea-Sentinel

Lucros em Baixo

A Rickmers Maritime reportou hoje os lucros para o ultimo quarto de 2008 com fim em 31/12/08 cairam 23% para $7.2 milhões, relativamente aos $9.4 milhões registados no mesmo período de 2007.
O Armador sediado em Singapura reportou um aumento nos proveitos relativamente ao ultimo quarto periodo de 2008 com aumentos de proveitos na ordem dos 76% para $29.56 milhões em contraste com os $16.79 do mesmo período no ano anterior.


Os proveitos estão 8 pontos percentuais abaixo das expectativas, muito por causa as entregas atrasadas de 3 porta-contentores informou a companhia
A companhia atribui-o o declínio nos lucros aos efeitos negativos da crise financeira global que fez os preços caírem para os valores mais baixos de sempre e devido ao impacto que isto provocou no mercado, para alguns dos clientes.
Os proveitos reportados para 2008 andam na ordem dos $102.1 milhões.

The JOURNAL of COMMERCE ONLINE

Dispositivo electrónico de matrícula

O Governo aprovou o decreto-lei nº 612/2008 que torna obrigatória a instalação de um dispositivo electrónico de matrícula em todos os veículos automóveis, ligeiros e pesados, e seus reboques, motociclos e triciclos autorizados a circular em auto-estradas e vias equiparadas. O dispositivo electrónico de matrícula é colocado na viatura, emitindo um código, cuja transmissão permite a sua detecção e identificação pelas entidades legalmente autorizadas para o efeito. Esta identificação electrónica de veículos através do dispositivo electrónico de matrícula permite efectuar a cobrança electrónica de portagens, em conformidade com o Serviço Europeu de Portagem. O dispositivo electrónico de matrícula será gratuito nos primeiros seis meses a contar desde a entrada em vigor da portaria regulamentar, passando depois a custar dez euros. O Governo sublinha que o “direito à privacidade dos proprietários e/ou condutores e a protecção dos respectivos dados pessoais não são postos em causa com este sistema, uma vez que o dispositivo electrónico de matrícula apenas transmite um código e não qualquer elemento de identidade dos proprietários e/ou condutores. Os equipamentos de detecção electrónica de veículos são dotados de um alcance meramente local, não permitindo um acompanhamento permanente dos veículos em circulação. Para garantir a salvaguarda da privacidade dos proprietários e/ou condutores dos veículos, o diploma aprovado pelo Governo refere explicitamente que não haverá cruzamento automático e permanente entre as bases de dados dos DEM e os dados relativos aos proprietários constantes do registo automóvel.

In Transportes em revista

Sines perde um milhão de toneladas

O Terminal XXI movimentou no ano passado 233 118 TEU, o que significou um crescimento homólogo de 55% e deixou o operador de Sines a um passo do segundo lugar do ranking nacional, a escassos dois mil TEU da Liscont.

Em termos globais, o porto de Sines ficou-se pelos 25,1 milhões de toneladas, o que representa um recuo de 4,4% relativamente a 2007. Mas a administração liderada por Lídia Sequeira explica a quebra com circunstâncias excepcionais, como a paragem técnica da refinaria da Petrogal.

Nos granéis líquidos, de longe o tipo de carga mais movimentada em Sines, o saldo foi negativo em quase 8%, com 17,8 milhões de toneladas, menos 1,5 milhões do que há um ano. Só a paragem de dois meses e meio da refinaria terá “custado” 1,5 milhões de toneladas.

Nos granéis sólidos movimentaram-se perto de 4,4 milhões de toneladas, menos meio milhão de toneladas do que em 2007. A central termoeléctrica de Sines esteve parcialmente parada durante quatro meses e houve uma retracção do consumo de carvão, explica a APS.

A carga geral, contentorizada, 50%, ou um milhão de toneladas, de dois para três milhões, em linha com o movimento de contentores.

In Transportes & Negocios

09 fevereiro, 2009

Exportações extracomunitárias sobem 13,5%

As exportações para os países fora da União Europeia (UE) cresceram 13,5 por cento em 2008, abaixo das importações (15,3 por cento), valores que provocaram um agravamento do défice da balança comercial extracomunitária.

De acordo com os dados hoje publicados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), o comércio no último trimestre do ano revelou um perfil diferente do conjunto do ano, com as importações a caírem 9,5 por cento e as exportações a subirem seis por cento.

Em 2008, Angola ascendeu à posição de principal país cliente de Portugal fora da União Europeia, ultrapassando os EUA, que registaram uma forte quebra.

O saldo da balança comercial extracomunitária no final do ano era negativo em 6.231,9 milhões de euros, refere o INE.

Segundo o INE, o «forte dinamismo» registado nas exportações para Angola fez as vendas para este destino dispararem 34,8 por cento no conjunto do ano, ultrapassando os 2.000 milhões de euros (mais 586,2 milhões de euros do que no ano anterior).

Os EUA, que em 2007 eram o principal destino das exportações extracomunitárias portuguesas, passaram em 2008 a ser o segundo, depois de uma quebra de 25 por cento nas vendas para este mercado, face a 2007.

Angola representa assim um peso de 22,8 por cento nas exportações portuguesas para fora da UE e os EUA 13,5 por cento.

Singapura reforçou a sua posição de terceiro maior cliente extracomunitário (a valer 8,7 por cento do total das vendas fora da UE), com um aumento de 156,9 milhões de euros, face a 2007, o que significou uma variação anual de 22,2 por cento.

Os três países representam no seu conjunto 45 por cento do valor total das exportações extracomunitárias.

Relativamente aos maiores parceiros fora da UE, o INE destaca as subidas nas exportações para o México, Marrocos e Brasil (102,5 milhões de euros, 73,8 milhões de euros e 61,8 milhões de euros, respectivamente).

Em sentido contrário, o instituto realça a quebra do Japão no ranking dos principais mercados de destino, tendo decrescido de quinta para décima quinta posição em 2008, como resultado de um decréscimo de 119,4 milhões de euros (queda de 40 por cento).

As máquinas e aparelhos continuam a ser os produtos mais transaccionados nos mercados extracomunitários (com um peso de 30,5 por cento), seguido dos combustíveis minerais (com um peso de 12,8 por cento) e dos metais comuns (6,8 por cento).

In Tsf

ANTP acerta com o Governo acordo de Junho

A Associação Nacional de Transportadores Portugueses (ANTP), entende, como o Governo, que as medidas de apoio ao sector acordadas em Junho estão "totalmente regulamentadas". E por isso afasta a hipótese de avançar com uma nova paralisação.

"Tudo o que propusemos ao Governo no acordo de Junho ficou hoje acordado e regulamentado" afirmou o presidente da Mesa da Assembleia Geral da ANTP, António Lóios, à saída de uma reunião com a secretária de Estado dos Transportes.

António Loios afastou a possibilidade de uma nova greve no sector. "Neste momento não há motivos para greves", afirmou, sublinhando que a associação, formada na sequência da paralisação dos camionistas em Junho passado, tem tido uma "postura de diálogo".

A posição da ANTP contrasta com a da Antram, cujo presidente acusou o Governo de não estar a cumprir com o acordado com os transportadores, em meados do ano passado.

Curiosamente, agora é a Antram a admitir a possibilidade de novas manifestações do sector, enquanto a ANTP se reclama do diálogo.

Antram e Governo em desacordo

A Antram e o Governo não se entendem sobre a concretização das medidas acordadas em Junho do ano passado, quando da greve dos camionistas. A associação dos transportadores rodoviários de mercadorias insiste em que faltam algumas das medidas. O MOPOTC sustenta que tudo está a ser cumprido.

António Mousinho, presidente da Antram, reuniu-se com a presidente do PSD, Manuela Ferreira Leite, para debater o estado do sector. Aos jornalistas, admitiu a possibilidade a possibilidade dos seus associados poderem iniciar uma jornada de protestos, caso o Governo não cumpra a totalidade das medidas de apoio ao sector.

Mousinho afirmou que as medidas acordadas ainda não foram cumpridas e como o sector dos transportes de mercadorias está a ser "seriamente" afectado pela crise económica, os profissionais do sector poderão vir novamente para as ruas. "Ninguém sabe. O que posso dizer é que se a situação social se agravar, com empresas a encerrarem todos os dias, é difícil que não aconteça", afirmou.

Segundo o presidente da Antram, o sector está a sofrer uma quebra de mais de 30% na actividade, com cerca de 15 mil camiões parados.

Em resposta, e em comunicado, o MOPTC garantiu que se "encontram integralmente cumpridos" os acordos celebrados em Junho com as associações do sector dos transportes de mercadorias.

O Governo explica, na nota divulgada. que foi constituído um Grupo de Trabalho interministerial, com o objectivo de definir a forma de implementação dos incentivos financeiros, devendo este apresentar um relatório "para submeter a homologação do Governo, após a pronúncia da Comissão Europeia sobre a conformidade dos incentivos com os regulamentos comunitários".

O MOPTC garante ainda que irá acompanhar a situação do sector e "ponderar eventuais novas medidas a aplicar, em diálogo com as associações representativas".

Em causa está o cumprimento do "Pacote de Medidas de Apoio ao Transporte Profissional de Mercadorias", acordado em 11 e 12 de Junho do ano passado.

06 fevereiro, 2009

Associação de transportadores afastou hipótese de nova greve

A Associação Nacional de Transportadores Portugueses (ANTP) afirmou hoje que as medidas de apoio acordadas com o Governo em Junho estão "totalmente regulamentadas" e afastou a hipótese de avançar com uma nova paralisação.

"Tudo o que propusemos ao Governo no acordo de Junho ficou hoje acordado e regulamentado" afirmou o presidente da Mesa da Assembleia Geral da ANTP, António Lóios, à saída de uma reunião com a secretária de Estado dos Transportes.

António Loios afastou a possibilidade de uma nova greve no sector.

"Neste momento não há motivos para greves", afirmou sublinhando que a Associação, formada na sequência da paralisação dos camionistas em Junho passado, tem tido uma "postura de diálogo".

Em Junho de 2008 o Governo e as duas associações de empresas de transportes de mercadorias acordaram um "Pacote de Medidas de Apoio ao Transportes Profissional de Mercadorias", que pôs fim à greve dos camionistas.

In Lusa

Somalia - Libertação de mais um navio e respectiva tripulaçao

Piratas aceitaram libertar o navio de carga Turco Bosphorus Prodigy, de acordo com varios relatorios de hoje.


O navio tem uma tripulação composta por 8 Ukranianos e 3 turcos e foi capturado pelos piratas a 15/12/08 enquanto cruzava o golfo de Aden em rota para Mubai com uma carga de grão e óleo


Acredita-se que foi pago tambem um resgate para que esta libertação aconteça, mas os donos do navio a Iskomarine não puderam ser contactados para confirmar esta informação.


Um fonte proxima da força naval Europeia informou a Fairplay que os piratas ainda nao deixaram ainda o navio, e que estao à espera que o navio seja reabastecido com alimentos e combuustivel de forma a assegurar uma transição segura para outras aguas.

Entretanto, tambem se especula que o navio faina, de origem Ukraniana vá tambem ser libertado brevemente.

O Faina, foi capturado a 25/09/08 fazendo com que este navio seja um dos que mais tempo esteve retido pelos piratas.

In MaritimeSecurityCenter.eu



Basílio Horta diz que AICEP está a fazer tudo o que é possível para fazer face à crise

O presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal esclareceu hoje que quando declarou "não saber o que fazer mais" para fazer face a crise queria dizer que a entidade "está a fazer tudo" nesse sentido.

Na quinta-feira, à margem de uma conferência sobre as relações económicas Portugal-Angola no Porto, Basílio Horta declarou: "É uma crise gravíssima, quase como um abalo de terra, que está a gerar uma angústia profunda, porque não sabemos o que havemos de fazer mais", disse Basílio Horta no Porto.

Hoje, em entrevista à Antena 1, o presidente da AICEP explicou o que queria dizer com as suas palavras.

"Eu não disse isso. O que quis dizer com isso é que nós na Agência [AICEP] estamos a fazer tudo o que é possível, a trabalhar de uma forma intensa. Todos nós falamos com dezenas de empresas por semana, com as associações, com as câmaras municipais. Estamos empenhados. O que disse é que estamos a fazer tudo o que é possível na agência para encarar esta crise na medida das nossas competências. Foi isso que eu quis dizer", declarou Basílio Horta.

"Quem entende que é desistência, ou qualquer outra coisa, é quem não me conhece. É um verbo que não costumo conjugar", sublinhou.

Questionado especificamente sobre a sua expressão "angústia profunda", o presidente da AICEP disse que é um sentimento que resulta da situação actual, em especial do número de desempregados.

"Falei em angústia, angústia profunda, é verdade. Só quem não tem sensibilidade humana não tem angústia com o que está a acontecer. Todos os dias nós na AICEP estamos a ver empresas que fecham. E isto não angustia, não obstante o trabalho que estamos todos a fazer? Angustia", disse basílio Horta.

O presidente da agência referiu igualmente o número de desempregados na vizinha Espanha, três milhões de pessoas (200 mil no último mês), para salientar "os problemas gravíssimos de tantas famílias".

"Quando deixamos de nos angustiar com essas situações, perdemos uma grande parte da nossa própria humanidade", concluiu Basílio Horta.

"Isso não significa que não estejamos empenhadíssimos, motivados e determinados a combater [a crise]. E mais, fazendo isso mantendo a vida normal da agência", realçou.


In Lusa

Protestos dos camionistas podem voltar às estradas

O presidente da Antram, António Mousinho, afirma que o Governo ainda não cumpriu a totalidade do “Pacote de medidas de apoio ao Transporte Profissional de Mercadorias” que acordou com as associações no ano passado aquando da jornada de protesto nacional que quase paralisou o país e que pôs fim à greve.

O líder da associação de transportes denuncia que neste momento são inúmeras as empresas em dificuldades já que há uma quebra de 30% da actividade.

"Existem quebras de actividade na ordem dos 30% decorrentes, fundamentalmente, da diminuição do consumo e, portanto, isso representa cerca de 15 mil camiões que estão parados e 15 mil postos de trabalho", adiantou António Mousinho.

“Há empresas (do sector) que fecham todos os dias", situação que para o presidente da Antram está directamente relacionada com os apoios prometidos pelo Governo, e até agora não cumpridos, mais especificamente com as ajudas de custo TIR – ajuda de custo mensal atribuída aos transportadores que realizam serviço de transporte internacional previsto no contrato colectivo de trabalha assinado em 1982 entre a ANTRAM e a FESTRU –, ponto que a ANTRAM entende ser de "fácil resolução".

Em 2005 e ao contrário do que acontecia até então, as transportadoras começaram a pagar imposto sobre essas ajudas. A Antram entende que o Governo deveria alterar a legislação de forma a por fim à colecta desse imposto.

"Se há essa mudança, então a administração deveria alterar a legislação existente e determinar uma data para início da cobrança dessa taxa e não fazer como está a fazer que é ir às empresas fazer fiscalizações e apresentar multas e juros de mora relativamente a anos passados quando nunca até agora foi exigível o pagamento dessa taxa", criticou.

"É uma situação de uma injustiça e de uma ilegalidade tremendas", classificou. Como reacção a esta colecta, a associação representante das empresas de transporte de mercadorias, está a recomendar aos seus associados “que estão a ser vítimas desta situação a fazer reclamações administrativas e reclamações judiciais".

O líder da Antram não afasta a possibilidade dos protestos regressarem às estradas nacionais.

"Se a situação social se agravar, como todos os dias se vê empresas a encerrarem, é difícil que eventualmente isso (manifestações) não aconteça. Aliás, tivemos o exemplo da Grécia há umas semanas", alertou António Mousinho.

Acordos celebrados encontram-se integralmente cumpridos – Governo

O ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, garantiu em comunicado entretanto distribuído, que se “encontram integralmente cumpridos” os acordos celebrados em Junho com as associações de transportes de mercadorias.

"Face a afirmações feitas hoje, segundo as quais o Governo não estaria a cumprir os acordos celebrados com as associações representativas do transporte rodoviário profissional de mercadorias, o MOPTC vem esclarecer que os acordos celebrados nos dias 11 e 12 de Junho de 2008 encontram-se integralmente cumpridos", explicou o Ministério.

O comunicado esclarece que foi constituído um Grupo de Trabalho Interministerial que visa definir a forma de implementação dos incentivos financeiros. O grupo apresentará um relatório "para submeter a homologação do Governo, após a pronúncia da Comissão Europeia sobre a conformidade dos incentivos com os regulamentos comunitários".

In rtp.pt

05 fevereiro, 2009

Piratas somalis libertam navio ucraniano que transportava armas

O navio ucraniano "Faina", que transportava armas e tinha sido capturado por piratas somalis em Setembro, foi abandonado hoje pelos seus captores, depois de os proprietários da embarcação terem pago um resgate.

“O último grupo de piratas saiu do navio e o ‘Faina’ está deserto agora”, disse à agência Reuters um habitante local, da zona do porto de Haradheere, na Somália, que agiu como negociador do resgate e não quis ser identificado. O valor do resgate terá atingido 3,2 milhões de dólares, embora a exigência inicial tenha sido de 20 milhões.

O Presidente ucraniano, Victor Iuschenko, congratulou-se com o fim do caso. “Os 17 marinheiros a bordo poderão em breve ver de novo a sua família, em solo ucraniano”, disse o governante, numa declaração divulgada na Internet.

Não é muito claro qual seria o destino das armas a bordo. O Quénia disse que tinha comprado os tanques que seguiam no “Faina” para o seu exército, mas diplomatas estrangeiros afirmaram que o seu destino era o Sudão.

Desde o início do ano, os piratas somalis tomaram já três navios – depois de terem quebrado todos os recordes no ano passado, capturando 42 embarcações. Mais de 20 navios de guerra de 14 países estão neste momento a patrulhar a zona do Golfo de Áden, tentando garantir a segurança dos navios que por ali passam.

In Publico.pt

Hapag-Lloyd mantem serviço Canada - Mediterraneo inalterado

A Hapag-Lloyd vai continuar o serviço entre Montreal e os portos no Mediterrâneo, que era operado conjuntamente com a Senator. Oito navios, dois dos quais da Senator, estão actualmente destacados, e têm capacidades entre 1000 e 2000 TEU. O serviço é executado a partir de Montreal para Fos, Génova, Salerno, Cagliari, Livorno, Valencia, Cádiz e Lisboa.
A Hanjin Shipping, como empresa-mãe da Senator Lines, está a estudar a possibilidade de continuar no serviço em conjunto com a Hapag-Lloyd.

Senator Lines acaba no fim do mês

A Senator Lines, armador alemão controlado pela Hanjin Shipping, anunciou que encerrará a sua actividade no final do corrente mês.

A decisão é justificada pela crise económica financeira, pelos reduzidos volumes e pela concorrência desenfreada, especialmente nas ligações Este-Oeste. A companhia não vislumbra sinais positivos em 2009, nem perspectiva uma recuperação dos fretes no longo prazo.

A Senator Lines foi constituída em 1987 e desde então tem registado prejuízos em quase todos os exercícios. Em 2007, porém, alcançou resultados positivos de 14 milhões de euros. Os resultados de 2008 ainda não são conhecidos. O armador, detido a 80% pela Hanjin Shipping, integra a aliança CKYHS e oferece 14 serviços, maioritariamente entre a Europa e a Ásia.

A companhia alemã apenas opera com dois navios, de 2 100 TEU, ambos fretados. A maioria da capacidade que disponibiliza é contratada nos navios dos seus parceiros ou nos da Hanjin Shipping.

Os restantes 20% do capital da Senator Lines estão divididos entre o braço de investimento da cidade de Bremen e um armador alemão.


In Transportes & Negocios

04 fevereiro, 2009

Onde anda o Mv. Jaikur II ?

Foi reportado hoje o desaparecimento de mais um navio de carga ao largo da Somalia.
Com 14 tripulantes Indianos e com um oficial Queniano, suspeita-se que o navio Jaikur II foi capturado por piratas, pois desde dia 03/02/09 que o mesmo não dá qualquer sinal "de vida". O navio pertença ao Armador Al Rashid Shipping Dubai desapareceu nas aguas costeiras da somalia quando efectuava a viagem procedente do Quenia. O Navio saiu de Mombassa à 1 semana e teme-se que o mesmo tenha sido capturado por Piratas Somalis pois desde dia 03/02/09 que não existe qualquer informaçao sobre a localizaçao do mesmo. A confirmar-se a noticia, o Jaikur II será o 4º navio a ser capturado pelos piratas desde o inicio do ano na Somalia. O referido navio, tinha ido á somalia no dia 22/01/09 descarregar comida ao abrigo do programa alimentar contra a fome, tendo sido escoltado até Mogadishu pela fragata Inglesa NORTHUMBERLAD.

Nao se percebe é porque nao fizeram o mesmo a quando da sua saida de Mogadishu na semana passada.

In EagleSpeak Blog

Grupo ETE estreia em Aveiro operações ro-ro

As empresas licenciadas no porto de Aveiro, Aveiport e Euroline, do universo do Grupo ETE, efectuaram na última sexta-feira, dia 30 de Janeiro, a carga e o agenciamento do navio ro-ro "JULIANAHAVEN". Tratou-se do primeiro navio a operar neste porto em carga de veículos por sistema "ro-ro", carregando 61 camiões Iveco de diversos tipos, oriundos do centro de Portugal e tendo como destino a Líbia. O navio, com abertura na proa fez com que, apesar das difíceis condições climatéricas, o trabalho tenha decorrido com uma fluidez que deixou satisfeitos todos os intervenientes.
Segundo os seus responsáveis, "graças ao dinamismo deste grupo e das suas empresas, abriram-se assim novas portas e novas valências do porto de Aveiro, que se espera tenham a necessária continuidade".


In CargoEdições Online

UE poderá autorizar os gigacamiões nos 27 Estados-membros

Será uma verdadeira viragem de 180 graus - depois de anos e anos a combater por uma transferência do transporte de mercadorias da estrada para a via férrea, a UE poderá em breve autorizar maiores e mais pesados camiões em algumas das estradas internacionais dos 27 Estados-membros, refere o prestigiado Lloyd's List Daily News.

Num seminário que decorreu na semana passada no Parlamento europeu a maior parte dos oradores defendeu a aprovação dos denominados gigacamiões, com capacidade de 60 toneladas - contra as actuais 40 toneladas - e medindo 25,5 metros de comprimento.
Um representante da D.G. Tren, John Berry de seu nome, admitiu que os gigacamiões poderiam retirar 3,8% das mercadorias da ferrovia para a estrada, número que poderá chegar aos 11% em países da Europa Central como Alemanha e Áustria.
Os gigacamiões, também designados eco-combis, poderão criar uma nova procura no transporte rodoviário, bem como retirar mercado à ferrovia.
O certo é que a CE abandonou a denominada política "modal shift", de transferência de cargas da rodovia para a ferrovia, que se revelou um insucesso total. Jonh Berry disse que, dada a incerteza da recessão, deverá sair em Março mais um relatório comunitário sobre o tema. Uma decisão para rever a legislação corrente poderá surgir ainda antes do final deste ano.


In CargoEdições Online

"K” Line Prepara Serviço em Africa

O Armador Japones “K” Line anunciou que irá lancer um novo serviço no inicio de abril entre a Africa do Sul e West Africa. Este serviço irá permitir que a "K" Line ligue os mercados Asiatico e Africano atraves deste novo serviço “Asia-South Africa”.
O Armador irá operar este serviço numa base semanal, com 4 navios e com uma capacidade para 1,000-TEU cada.
A rotaçao deverá ser efectuada entre Cape Town, Tema, Lagos, Cotonou e de regresso a Cape Town.

Enquanto alguns armadores cancelam servicos...


MSC liga Sines à Turquia

A partir do próximo dia 12, a Mediterranean Shipping Company (MSC) iniciará um novo serviço directo entre Sines e os portos da Turquia.

O novo serviço ligará o Terminal XXI aos portos de Istambul, Izmir e Gemlik, anunciando tempos de trânsito porto-a-porto de cinco, sete e 11 dias, respectivamente.

A primeira escala será realizada pelo MSC Carina, com capacidade de transporte de 3 000 TEU. Os navios aceitarão também carga para Salónica e o Mar Negro.

Com este rearranjo da oferta, o Aegean Service da MSC deixará de escalar Sines, pelo que o porto de Piraeus passará a ser servido através do hub de Valência.

Associação de Armadores contra “concorrência desleal” da Naviera Armas

A polémica em torno da operação no Funchal do navio da Naviera Armas já envolve a troca de comunicados entre a companhia espanhola Associação dos Armadores da Marinha de Comércio (AAMC) portuguesa.

A AAMC acusa a Naviera Armas de “não cumprir integralmente os requisitos legais expressamente exigidos pelo IPTM” para a ligação entre o Continente e a Madeira, e de com isso estar a beneficiar “de uma vantagem ilegítima que se traduz claramente numa concorrência desleal para com os restantes armadores.”

No comunicado a que o TRANSPORTES & NEGÓCIOS teve acesso, a estrutura representativa dos armadores nacionais insiste em que, nos termos da licença outorgada pelo IPTM, a Naviera Armas só pode transportar a bordo do seu navio para a Madeira carga rolante com “meios próprios de propulsão (camiões)”.

A AAMC lembra ainda que os demais armadores têm de operar no Caniçal, enquanto a Naviera Armas movimenta trailers, que são equiparados aos contentores, no porto do Funchal.

Os armadores nacionais, pela mão de João Carvalho, exigem, por isso, que “ou essa vantagem é removida, ou então, para estarem em pé de igualdade concorrencial, os restantes armadores terão, também, de ser autorizados a descarregar no porto do Funchal”.

Relativamente à operação no Funchal da linha de Porto Santo, a AAMC sustenta que o serviço foi objecto de concurso público, e que se trata de uma ligação entre portos da Madeira, que nada tem a ver com o “tráfego de cabotagem entre o Continente e a Região, que é uma realidade diferente, regulada por diploma próprio”.

O comunicado da AAMCS surge em resposta a um outro comunicado posto a circular pela Naviera Armas, no qual o armador espanhol sustenta estar a cumprir com as condições do licenciamento outorgado pelo IPTM. No comunicado são referidos os “armadores [portugueses] e respectivo sindicato”, o que é considerado pela AAMC “inadmissivelmente insultuoso”.

Certo é que a operação do Volcan da Tijarafe continua com sucesso, que as cargas continuam a ser movimentadas no Funchal por tractores da região, e que o IPTM, que já esteve no local a assistir às operações, ainda não se terá manifestado a propósito do cumprimento, ou não, da licença de operação.

In TRansportes & Negocios

03 fevereiro, 2009

Grand Alliance anuncia a suspencão de mais um serviço (Asia- Black Sea Express Service - ABX)

A Grand Alliance decidiu suspender temporariamente o seu serviço entre a Ásia e o Mar Negro / Mediterrâneo Oriental, com efeitos imediatos.
O serviço semanal, operado conjuntamente com The New World Alliance (TNWA), era servido por oito navios com uma capacidade média de 5.000 TEU, tendo como escalas os portos de Xangai, Ningbo, Shekou, Singapura, Damietta, Istambul, Constanta, Odessa, Constanta, Istambul, Damietta, Jeddah, Singapura, Xangai.
A suspenção deste serviço é, como em todos os outros casos, uma resposta ao abrandamento económico global que levou à redução da procura dos clientes.




Camiões mais antigos têm de instalar mais retrovisores a partir de Abril

A directiva comunitária 2007/38/CE relativa aos novos requisitos de visibilidade nos pesados de mercadorias com peso igual ou superior a 12 toneladas de peso bruto com data de primeira matrícula posterior a partir de 1 de Janeiro de 2000, já foi transposta para o Direito interno pelo Decreto-Lei nº 221/2008. Na prática, a nova legislação, que entra em vigor no dia 1 de Abril de 2009, irá obrigar à montagem e/ou substituição de espelhos retrovisores no lado do passageiro num elevado número de veículos das categorias N2 e N2 (pesados de mercadorias com peso bruto superior a 12 toneladas). Assim, os camiões terão de dispor no lado direito da cabina de espelho retrovisor Classe IV (grande angular) e de um espelho Classe V (espelho de bermas), cujo campo de visão obedeça ao estipulado na Directiva 2003/97/EC. A medida aplica-se aos veículos com data de primeira matrícula posterior a 1 de Janeiro de 2000 que não possuam os referidos espelhos ou proceder à sua substituição se tiverem espelhos antigos das Classes IV e V. Algumas marcas, caso da Volvo, Scania e Renault Trucks, por exemplo, já estão a desenvolver acções para sensibilizar os proprietários dos veículos a procederem à montagem e/ou substituição de espelhos retrovisores de Classes IV e V. A Auto Sueco refere em comunicado que “os actuais modelos FL/FE e os modelos FM/FH produzidos a partir de Dezembro de 2005 cumprem já com esta mais recente imposição legal.”

In Transportes em Revista

Hanjin Shipping recebe mais dois navios

A Hanjin Shipping acaba de receber mais dois navios porta-contentores de 4 275 TEU cada. Apesar da crise actual, a companhia mantém os planos de modernização e aumento da frota.

O “Hanjin Atlanta” e o “Hanjin Gdynia” são o sexto e o sétimo navios de uma encomenda de oito colocada em 2005 junto dos estaleiros sul-coreanos de Hyundai Heavy Industries.

Os dois novos navios deverão iniciar as operações comerciais em Abril próximo, nos tráfegos entre a Ásia e os EUA e a entre o Extremo Oriente e o Mar Vermelho.

“Apesar da actual recessão económica global, e da instabilidade no mercado do transporte marítimo, prosseguiremos os nossos esforços para criar uma frota óptima, de acordo com os novos planos de crescimento de longo prazo”, afirmou o director executivo da Divisão de Linhas de Contentores do armador.

Os novos navios têm 261,4 metros de comprimento, 32,3 metros de boca e uma tonelagem bruta 40,5 mil toneladas. A velocidade máxima das duas embarcações é de 24 nós.

A Hanjin Shipping é representada em Portugal pela Isamar.

In Transportes & Negocios

02 fevereiro, 2009

Navio tanque Biscaglia libertado pelos piratas

A AFP reporta que o navio tanque MT Biscaglia foi libertado pelos piratas, depois de ter sido tomado pelos piratas em 28 Novembro do ano passado. A tripuçação do navio – 25 marinheiros Indianos e 3 do Bangladesh conseguiu levantar ancora e deixar os seus captores para trás na tarde de dia 28/02/09. Ainda segundo fontes africanas, o MV.Faina tambem poderá vir a ser libertado. Se bem se lebram, o Biscaglia foi o navio que foi capturado no golfo de Aden com 3 seguranças privados a bordo.