19 fevereiro, 2007

Mais uma colisão...

E ainda falam da sinistralidade das nossas estradas...









Acidente de comboio

Deixamos aqui um acidente cotrolado entre um comboio e um veiculo ligeiro... mais um instantaneo Youtube.

08 fevereiro, 2007

06 fevereiro, 2007

Colisão entre Navios: APL ALMANDINE vs APL DUBAI



Pois é, trago-vos aqui mais um acidente, mas infelizmente só tenho fotos do Navio APL ALMANDINE.
É assim, o mundo "viscoso" do shipping.. cheio de surpresas.. algumas delas desagradáveis.

02 fevereiro, 2007

AGEPOR já fez chegar propostas à tutela sobre as Orientações Estratégicas

A AGEPOR, representante dos Agentes de Navegação, dá os «parabéns» ao Governo pela apresentação das Orientações Estratégicas para o Sector Marítimo Portuário, considerando o documento «corajoso e ambicioso», embora entendendo que «a coragem poderia ter sido mais ambiciosa, e a ambição poderia ter sido (…) menos corajosa», pois medidas há «que ficaram um pouco aquém das expectativas da AGEPOR, e resultados indicados e assumidos que parecem exageradamente optimistas».O documento extenso já seguiu para a tutela – acaba amanhã, 31 de Janeiro, o prazo para a recolha de contributos – e nele se apontam algumas lacunas. Entre elas, o facto de em nenhum ponto estar «expressamente referida a necessidade de uma maior coordenação e também pró-actividade dos representantes portugueses em Bruxelas e na Comissão». A associação entende urgente «reconhecer e dotar esta relação Portugal/Comunidade, da eficácia necessária, alocando os meios e recursos mais apropriados, tal como o fazem os países parceiros, mas também concorrentes». Para além destas considerações gerais, a AGEPOR avança, na especialidade, propostas a aplicar aos portos secundários (salvaguarda das especificidades das Comunidades Portuárias e dos Portos agora englobados noutras Administrações), Administrações Portuárias (maior incidência e expressão na cooperação estratégica, do que na competitividade entre os portos nacionais), Operação Portuária (introdução da temática do Transporte Marítimo de Curta Distância, que se revestiria na possibilidade de um tratamento diferenciado), Melhoria das Condições de Operacionalidade de Unidade Portuária (instituição da figura do Harbour Master em cada porto, capaz de concentrar funções e responsabilidades, que agilizariam e tornariam muito mais transparentes e céleres os fluxos de informação), Melhoria das Condições de Navegabilidade da Costa Portuguesa (o Sistema de Controlo de Tráfego Marítimo no Continente deve ser coordenado com meios de acção de intervenção rápida), Promoção da Intermodalidade (inclusão deste modo específico de transporte marítimo na intermodalidade à semelhança do tratamento dado à ferrovia, logística e via fluvial). Ao adoptar esta abordagem, o Governo estaria provavelmente a antecipar o que, tudo leva a crer, parece vir a ser a sistematização seguida pela DGTREN, agora que mudou o conceito de intermodalidade para co-modalidade e pretende ver as Agências de Promoção de TMCD a evoluírem para a promoção da co-modalidade. A concluir, a AGEPOR disponibiliza-se «para colaborar com o Governo na operacionalização das orientações estratégicas, e assim contribuir para o sucesso da política que lhe está adjacente, e que, sinceramente, se espera e deseja, catapulte o Sector para patamares ainda mais elevados, no contexto da economia nacional».