11 maio, 2006

Carga Aérea em queda no mês de Abril

A carga aérea regista uma queda de 1,8% no conjunto dos aeroportos nacionais (continente e Açores), no mês de Abril, comparativamente ao mês passado, revelam as estatísticas da ANA. Por aeroportos, verifica-se que o de maior movimento, o de Lisboa, regista a maior descida, com -5,1%, para as 27,4 mil toneladas, seguido de Faro, com -4,4%, para as 153,6 toneladas. Já o Sá Carneiro arvora o simpático crescimento de 14,8%, para as 8,7 mil toneladas, o que no entanto não é suficiente para a inversão da tendência de queda do conjunto dos aeroportos nacionais. Os aeroportos da Madeira e do Porto Santo, geridos pela ANAM, também estão em queda (respectivamente -22,8% e -13,8%).Os aeroportos de Lisboa e Porto contribuem com mais de 90% do total da carga aérea movimentada no País.

4 comentários:

claroksim disse...

Não é de admirar com os preço dos combustiveis sempre a aumentar e os "excelentes" serviços prestados por ambas as empresas de handling do aeroporto, não é de espantar que os exportadores escolham outras soluções para o transporte das suas mercadorias.
Não julguem que estou a ser irónico quando digo "excelente", mas a pura das verdades.Como podemos cativar os clientes quando para entregar uma mercadoria demora-se cerca de 1 hora(e já é muito bom) e ao inverso, ou seja na importação, demorem 5 horas, pois é, 5 horas para conferir um vôo e conferir a carga.
Não podemos esquecer que após a conferência da guia, ainda temos de aguardar que a entreguem na chamada Zona de Saída.

claroksim disse...

Por tudo isto, quando a carga aérea estiver no fim, talvez seja tarde para estas entidades começarem a trabalhar como deviam, ou seja, ao nivel dos nossos conterraneos europeus.

Isto ainda dava mais pano para mangas, mas por hoje chega....um destes dias volto a carga (AEREA).

Intervencionista disse...

Podes voltar à carga (AEREA) sempre que quiseres meu amigo. Somos assim pequeninos em tudo, que raio de pais este.

Marcolan disse...

Com o preço dos combustiveis a aumentar torna-se cada vez mais real o uso da ferrovia como meio de transporte preferido.. pelo menos as previsões apontam para isso..